Hidradenite Supurativa: dicas para reduzir as inflamações

Conheça 7 playlists incríveis para ouvir no Spotify!
15 de agosto de 2017
Uma mensagem sobre confiança (ou a falta dela)
19 de março de 2018
Show all

Hidradenite Supurativa: dicas para reduzir as inflamações

hidradenite supurativa

Editado em 27/10/2018

Você já imaginou ter uma doença de pele que a maioria dos médicos desconhece? Se nem eles sabem o que você tem, imagina a demora para que ela seja diagnosticada e o sofrimento que é até que você aprenda a controlá-la. Esse é o caso da hidradenite supurativa, uma doença de pele crônica e sem cura, que afeta muita gente que nem imagina que ela existe.

Eu sou portadora de hidradenite e vim aqui compartilhar alguns dos meus conhecimentos para que outras pessoas possam identificá-la e iniciar o tratamento. Já aviso diante mão que não falo sobre as características científicas, pois você pode encontrá-las em outros sites, como no Protetores da Pele. Esse artigo tem como objetivo falar sobre como eu, por meio da vivência, consegui obter uma qualidade de vida melhor. Confira!

O que é hidradenite supurativa, afinal?

A hidradenite supurativa é uma doença de pele crônica inflamatória que costuma atingir principalmente mulheres, embora homens também possam apresentá-la. A manifestação das inflamações costuma aparecer após a puberdade, em regiões como as axilas, mamas, glúteos e, em alguns casos, nas áreas genitais.

Essas áreas têm mais glândulas sudoríparas apócrinas e os folículos pilosos dessas regiões inflamam e formam um machucado que é frequentemente confundido com o furúnculo. Eu mesma passei anos recebendo esse diagnóstico, nem frequentava mais os prontos socorros, já que a indicação era tomar remédio para a dor e esperar.

Minha vida mudou quando descobri o canal Gorda de Boa, em que a Jessica Tauane fala sobre a doença e percebi que precisava correr atrás de ajuda médica novamente. Ela fez uma série de vídeos sobre a hidradenite supurativa e vale a pena conferir!

Ao perceber que eu precisava buscar ajuda novamente, marquei com uma demartologista e quando ela olhou as cicatrizes disse: é hidradenite supurativa. Eu nem havia contado das minhas suspeitas ainda e isso me surpreendeu. Também foi um choque saber que realmente tinha algo para a vida toda.

Mas olhei para o lado bom e vi que, ao ser diagnosticada, conseguiria encontrar tratamentos, quem sabe descobrir as causas e ter uma qualidade de vida melhor.

Quais são as causas da hidradenite supurativa?

Essa doença é tão pouco estudada que ainda não se sabem quais são as causas. A única informação até então, é que o corpo tem uma resposta inflamatória exagerada que acaba danificando a pele e as estruturas associadas. Há também uma tendência familiar, ou seja, se você tem, procure na sua família e veja se alguém também apresenta os mesmos sintomas.

Como reduzir as inflamações?

Chegou a hora de dar minhas dicas. Confesso que elas vêm muito mais da experiência pessoal do que de médicos, até mesmo porque a única indicação que recebi era a de fazer uma cirurgia que retiraria a pele danificada. Ocorre que, por ser autoimune, a doença pode afetar a mesma área, quando a pele “nascer” novamente. Por meio de um grupo de discussões no Facebook, eu descobri bastante a respeito da cirurgia.

Alguns médicos colocam enxerto, mas segundo o que li, dizem que o melhor é retirar a pele e esperar a recuperação naturalmente. Por ser um processo dolorido e que às vezes acaba sendo temporário, eu optei por não seguir esse caminho.

Mas atenção: muitos relatos dizem que anos após a cirurgia a pele não sofreu novas inflamações, embora outras pessoas também afirmem que tiveram novos casos em um curto espaço de tempo. Acredito que a decisão deve partir de cada pessoa, com a ajuda de um médico que conheça a hidradenite, observando prós e contras para saber se realmente vale a pena tentar. Mesmo porque existem graus da doença e o meu não é tão avançado. Talvez se tivesse feridas mais constantemente ou maiores eu optasse pela cirurgia.

Mas enfim, agora vou falar um pouco sobre como eu consegui controlar as inflamações e assim quem sabe ajudar alguém que tenha o mesmo problema que eu.

Mudanças na alimentação

Quando estava com crises constantes, comecei a procurar no grupo do Facebook, informações que me ajudassem a controla-las. Foi então que vi muitas pessoas falando das mudanças na alimentação. Algumas delas são:

  • não beber leite (sempre que ouso desobedecer essa, me surge uma inflamação);
  • não comer carne de porco (incluindo bacon, calabresa e afins);
  • evitar comidas gordurosas;
  • comer muitas frutas, verduras e legumes;
  • comer feijão e outras leguminosas com frequência;
  • reduzir ou retirar completamente o glúten da alimentação (ainda estou tentando essa, pois está sendo difícil para mim).

Sobre o leite, eu já não era muito fã, mas percebi que derivados como alguns queijos e requeijões também causam a inflamação, só se eu exagerar. Recentemente vi um live de uma nutricionista sobre a alimentação na hidradenite e achei mega interessante:

Uso das roupas adequadas

O atrito é a principal causa das inflamações e usar roupas que contribuem para que esse atrito aconteça é pedir para sofrer. Eu não uso vestidos sem shorts e ainda assim, os shorts precisam cobrir toda a área das coxas que entram em atrito.

Camisetas e calças sempre de algodão e de preferência largas. Jeans e tecidos sintéticos abafam a região, aumentam o atrito e tcharam: essa é a receita perfeita para uma boa inflamação. Deixei, com muita dor no coração, de usar várias roupas que gostava, mas acreditem, valeu a pena.

Cosméticos e pomadas que me ajudaram

Usar alguns cosméticos e pomadas também fez toda a diferença para reduzir as inflamações. Agora eu uso o sabonete de glicerina neutro, além de um talco líquido que deixa a pele sequinha e evita a fricção.

Sabonete de Glicerina

Talco Líquido

Também não é recomendado usar Gillette para depilar as áreas afetadas. Na verdade, existem pesquisas que indicam que a depilação a laser pode até cicatrizar e reduzir as inflamações. Atualmente uso o creme depilatório Veet (para peles sensíveis). Essa é uma opção que pretendo testar no futuro. Fica a dica.

Eu utilizava o desodorante spray, no entanto, ele causava muitas inflamações, já que obstruía os poros. Por ver algumas pessoas recomendando alternativas, testei o leite de magnésia e a Minâncora.

A opção que mais funcionou para mim foi a Minâncora. Utilizo todos os dias e não tenho problemas com odores. A quantidade de inflamações nas axilas caiu muito com essas medidas. Na verdade, agora é bem mais raro aparecer nessa região.

Também uso muito a pomada Trok-n (cetoconazol + dipropionato de betametasona), que comprei sem precisar de receita. Ela ajuda a diminuir a inflamação no local e as vezes até impede que o machucado aumente de tamanho. Atualização: segundo uma médica que tem me acompanhado, essa pomada não pode ser utilizada com muita frequência, por conter corticoide, então cuidado, pessoal!

Como também comecei a ter inflamações no pescoço e no queixo e tinha bastante espinhas, comecei a usar o sabonete líquido Actine. Todos esses produtos, aliados aos cuidados que citei antes, realmente mudaram a minha vida.

Existe tratamento medicamentoso para hidradenite supurativa?

Durante as crises eu tomo alguns medicamentos para dores, mas não posso citá-los, pois só um médico pode prescrevê-los. A automedicação nunca é recomendada e pode fazer muito mal!

Há pouco tempo o medicamento adalimumabe foi liberado no Brasil. Ele vem em injeções subcutâneas e promete controlar a doença. Por ser muito caro, as pessoas têm começado a solicitar, por via judicial, que o medicamento seja obtido pelo SUS. Parece um pequeno avanço nessa luta, mas ainda não utilizei o medicamento e não tenho como falar mais a respeito.

Muitos médicos dizem que a hidradenite está relacionada a obesidade. Pelo que observei no grupo, muitas pessoas magras têm essa doença. Acredito que a obesidade interfira pelo simples motivo de que a pele entra mais em atrito quando se é maior e, portanto, as inflamações aparecem mais. Hábitos como o tabagismo e a alimentação desregrada também não são recomendados e podem agravar o quadro.

Se você também foi diagnosticado com hidradenite, entenda que por mais difícil que seja, alguns dias serão melhores do que os outros. Nossas cicatrizes são marcas que demonstram como passamos por nossas batalhas diárias e resistimos. Não sinta vergonha, não se isole, não deixe de ser feliz. Você é forte, acredite nisso.

Essas foram algumas das coisas que aprendi sobre a hidradenite supurativa. Confesso que até tinha vergonha de falar sobre isso, mas venci essa barreira. Acredito que a informação compartilhada é a melhor forma de evitar que outras pessoas passem anos de sofrimento como eu passei sem saber que há uma forma de reduzir os danos.

Compartilhe esse artigo em suas redes sociais e ajude a divulgar essas dicas para que elas cheguem a quem precisa!

*Este post faz parte do meu portfólio, se você tem um blog e precisa de artigos, conheça também meu site profissional e entre em contato comigo!

Karina Oliveira
Karina Oliveira
Formada em Letras, apaixonada por marketing digital, café, gatos e pelo meu filho lindo. Gosto de compartilhar conhecimentos e dividir experiências.

25 Comments

  1. T C Mont disse:

    Boa tarde! Adorei o seu relato. Minha filha de 17 anos também tem essa doença. Eu acredito que tudo depende do modo como a gente vê a vida. É claro que às vezes ocorrem coisas que não esperávamos ou não gostaríamos que acontecesse, mas o que fazer? Adorei o seu modo de reagir a essa realidade. Não é o fim do mundo. Dá pra ser feliz sim. Nada é mesmo perfeito. Mas, eu gostaria de te dar uma dica muito importante que descobri recentemente lendo muuuuuitos artigos em inglês: o turmeric. Pode ser tomado em cápsula ou fazer uma pasta com mel e passar sobre a lesão. Já fizemos o teste e funcionou. Em no máximo dois dias a lesão desaparece. É claro que isso pode variar de pessoa para pessoa, mas com ela funcionou. O turmeric não é tão fácil de achar no Brasil, mas o açafrão da terra é um “primo” dele e serve também. Li o relato de muitos americanos que fazem uso dessa substância natural para tratar várias doenças inflamatórias e, segundo os seus relatos, na maioria das vezes, dá super certo, pois é um anti-inflamatório natural. Espero poder ajudar, pois voce ajudou muito com o seu depoimento positivo, raro de se ver na internet quando se trata de hidradenite. Tudo de bom e melhoras!

    • Boa tarde! Sim, é possível ser feliz e levar a vida, mesmo que às vezes a doença atrapalhe. Tem dias melhores e outros melhores, o jeito é focar nos melhores. Muito obrigada pela dica! Com certeza vou testar o açafrão da terra, já estou até pesquisando aqui. Fico feliz por ter ajudado, sua filha tem muita sorte em ter você para apoiá-la. Melhoras para ela também, tudo de bom para vocês! Beijos!!

  2. Aline disse:

    Olas,

    Me chamo Aline, gostei muito do texto, tenho 34 anos e sofro disso a 21 anos, uma dica tambem gengibre tambem é muito bom, picar 2 rodelinhas de 2 cm cada , colocar na garrafinha de agua e beber ela é refrescante e mata a sede.
    Sobre leite e derivados, pura verdade, descobri isso a pouco tempo e vou tentar o que nao sabia ainda.

    Se tiver novidades me envie por favor.

    Obrigada

    Bjus

  3. Acho incrível como hoje em dia é muito mais fácil achar informação sobre HS na internet e até em português. Sofro com isso há uns 18 anos. E o que me trouxe conforto foi achar o blog Primalgirl da Tara Grant alguns anos atrás. Recomendo que você leia a experiência dela e vá um pouco mais além com as modificações na sua dieta. Boa sorte!

    • Olá, Sybille! Eu também fico feliz por encontrar cada vez mais informações disponíveis, traz até uma esperança, né? Vou olhar esse blog agora mesmo, muito obrigada pela recomendação! Boa sorte para você também! =)

  4. Ana Paula Soares disse:

    Olá, Muito obrigada pelas informações, tenho esse problema a mais de 20 anos, recorri a vários dermatologista e nunca houve o diagnóstico correto, até que há 01 ano atrás uma dermatologista fez o diagnóstico e estou em tratamento com dois remédios Metiformina 500g e Espirolactona 100g, melhorou as inflamações, mas não desapareceram, porém, hoje em dia as inflamações são fortes, em 03 dias estouram, mais não posso tomar esses medicamentos pelo resto da vida, já que são medicamentos fortes.
    Obrigada pelas dicas, vou fazer uso de todas. Obrigada por compartilhar sua experiencia.

  5. Erika disse:

    Oi. Estou na luta com hidradenite há mais de 2 anos. O diagnostico veio há pouco mais de um ano, durante a minha gestação gemelar. Comecei o humira (já usava outro imunobiologico para outras patologias, mas para ajudar no tratamento da hidradenite, mudamos para o humira), há 15 dias, ainda é cedo para qq conclusão, mas há dois dias piorei btt e estou muito desanimada no momento.
    Sobre o talco amilia, vc usa ele na lesão? Já comprei ele para meus bebês para prevenir e tratar brotoejas, mas não fazia ideia de que ajudava com hidradenite.

    • Olá, Erika! Na verdade, eu uso o talco para prevenir. Eu tenho muito medo de passar qualquer coisa em cima das lesões abertas. Normalmente só lavo e coloco um curativo. Não desanime, talvez o resultado do Humira venha a longo prazo, converse com o médico e nos mantenha informados!

  6. Simone mauricio david e disse:

    Eu fiz varias cirurgias e não deu muito certo só no começo pois voltou tudo de novo.

  7. […] outro artigo que fiz sobre a hidradenite supurativa, expliquei um pouco como lido com a doença e tento evitar as inflamações. Devido a grande […]

  8. Claudia Macedo Oliveira disse:

    Adorei o texto, com certeza as dicas me ajudarão muito pois tenho hidradenite e pretendo colocar em prática alguns desses hábitos para tentar amenizar as complicações, muito bom!❤️
    Tenho uma pergunta, você costuma ter dor no corpo e febre leve com o surgimento das lesões?

  9. Tatiane Oliveira disse:

    Você já ouviu falar no tratamento com prata coloidal?
    Uma portadora se trata, diz que é um produto natural e que fez mais efeito que o Humira.

  10. Mattos disse:

    Fiquei curioso em saber que tem muita gente que descobre e não se cuida e afirmo com 100% de certeza que essa doença nova é ligada a uma alimentação, chega ser uma alergia a laticínios. No meu caso é laticínios e produtos ricos em açúcar e olhe lá os de açúcar problemas msm são nos laticínios, cerveja que tem glúten ? Bebo todo fds e quando posso na semana RS…. Porém uso só camisas 100% algodão e leite de magnésio até pra dormi e sabonete antisséptico nas axilas. E tenho uma vida normal a 4 anos nada pq sou disciplinado. E já fiz cirurgia e nasceu umas trocentas vezes depois da cirurgia. Aí depois que mudei a alimentação na vera tudo parou e o abençoado do leite de magnésio juntamente com o sabonete antisséptico. Vc terá uma vida 100% normal academia lazeres etc. E como carne normal torresmo etc faço minhas gordices mas laticínios jamais jamais mesmo. Já pedi pra morrer então não coloca esse lixo na minha boca nunca mais. E sou feliz a anos sem essa doença. Antes foi dores durante longos 6 anos. Abraço e melhoras pessoal.

  11. Michele disse:

    Meu nome é Michele sou portadora dessa doença á 5 anos é horrível dói muito só peço a Deus para dar tempo de eu criar minha filha de 9anos.

  12. Leonardo Gomes disse:

    Boa tarde , Tenho há mais ou menos 10 anos doença ( já fiz cirurgia cisto pelonidal ), descobri com 5 anos pra cá , toda vez que passo por muito stress e nervoso acredito que piora tbm , tento não comer carne de porco e gordura , vivo com os braços inflamados mesmo tomando anti inflamatório , estou atrás de um dermato bom com boas referencias para passar !

  13. Alessandra Queiroz Bauer disse:

    Adorei! Muito bom saber que não estou só na luta contra essa doença. Vou seguir muitas dicas expostas aqui.

  14. Márcia dettmer disse:

    Tenho idradenit dês dos 17 anos sofro bastante queria algo para faser eles vim a furo alguém me indica alguma coisa pois já não aguento maia

  15. Ricardo Pimentel disse:

    Você tá de parabéns
    Muito bom artigo
    Ótimas dicas

  16. Alessandra Nardini disse:

    Adorei as dicas! Sofro com isso há muitos anos. Eu sou portadora de fibromialgia e sofro dores horríveis que são potencializadas com o surgimento de inúmeros nódulos que parecem furunculos mas não tem o olho, chegando a nascer uns sobre os outros, impedindo que eu consiga andar, sentar, e muitas vezes tenho o constrangimento de sujar a roupa com o vazamento dos furunculos e só a pouco tempo veio o diagnóstico de que tenho Hidradenite Supurativa. Se os nódulos são um estorvo para a rotina de casa e de trabalho, as cicatrizes são um incomodo na hora de ir a praia ou a um clube. Quando consigo curar uma turma de furúnculos, outros surgem e começa tudo outra vez… Vou estudar mais sobre os assuntos e me especializar para requerer junto ao INSS os benefícios pq não há qualidade de vida do paciente. Sugiro criarmos um grupo sobre o assunto;

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

%d blogueiros gostam disto: