Uma mensagem sobre confiança (ou a falta dela)

hidradenite supurativa
Hidradenite Supurativa: dicas para reduzir as inflamações
1 de março de 2018
Talvez seja melhor assim
4 de abril de 2018
Show all

Uma mensagem sobre confiança (ou a falta dela)

Eu confiava em você. Confiava tão cegamente que quase não acreditei quando vi aquela mensagem no seu celular. Outra te chamando de amor? Você disse “Ela é uma louca qualquer”. Como sempre uma mulher é chamada de louca para que um homem justifique suas atitudes. Não fiquei surpresa. Mas algo em mim se quebrou ali, bem naquele momento.

Eu confiava em você, mas daquele momento em diante não confiei mais. Comecei a me sentir estranha, passei a querer saber se eu realmente estava com alguém diferente de quem eu pensei amar. Comecei a prestar atenção em coisas que antes não me importavam, comecei a ligar pontas e encontrar coisas que para mim faziam sentido.

Quando eu fui completamente tomada pela ansiedade e todas as dúvidas sobre sua fidelidade, eu virei “a louca”. “É impressão, não é nada demais” você dizia. Mas eu estava certa, não é mesmo? Isso já não importa. Quando você conta a história, provavelmente é uma versão bem diferente.

Você dizia manter contato com várias garotas só porque estava entediado, gostava de ter com quem falar. No fundo eu sabia que minha desconfiança podia até ser exagerada, mas tinha fundamento. No final, depois de tudo, você voltou para elas. Nunca vou entender o motivo de me manter por perto se a sua intenção era essa.

Quando nos chamam de loucas e dizem que somos paranoicas, desesperadas, nunca se perguntam como chegamos aquele ponto. Eu lhes digo: é necessário passar por muita dor. Sabemos muito bem que o certo é simplesmente ir embora, mas quando alguém que você ama tão profundamente olha em seus olhos e te diz que é exagero, tudo o que você mais quer é acreditar. Acreditar que é louca dói menos.

Não aponte o dedo para uma mulher e a chame de burra por simplesmente não conseguir deixar aquela pessoa. Isso não ajuda. Tente fazê-la enxergar a situação com clareza. Estenda a mão e ofereça apoio. Essa situação não é fácil e deixa marcas muito profundas.

Se você que está lendo se identificou com esse texto, quero que entenda que o problema não é você, nunca foi. Você perceberá isso quando se afastar da situação, quando enxergar por outro ângulo. Aproveite o período após o término para se reencontrar, redescubra sua força.

Havia uma mulher forte, confiante e cheia de amor antes dele. Ela ainda está aí. Não leve isso para as suas próximas relações e saiba que amar nem sempre termina como esperamos, mas o tempo se encarrega de amenizar as dores.

Karina Oliveira
Karina Oliveira
Formada em Letras, apaixonada por marketing digital, café, gatos e pelo meu filho lindo. Gosto de compartilhar conhecimentos e dividir experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

%d blogueiros gostam disto: